10%

de desconto mínimo
reservando sobre nosso site

O Hotel Saint-Germain Paris
& sua história

O hotel Belloy Saint-Germain Paris, antigamente era o hotel dos Estrangeiros, um lugar de encntro e de debate entre os poetas Zuristas.

Entre seus membros mais famosos estavam Charles Cros, Arthur Rimbaud, Paul Verlaine, André Gill, Ernest Cabaner ou Léon Valade, o círculo dos poetas zuristas representavam um pensamento dissidente e perturbador da época.

O hotel dos estrangeiros era animado por parodias, caricaturas, poemas e musicas.

Reunidos numa sala no entrepiso, os debates duravam a noite inteira e só paravam quando os primeiros raios de sol passavam pela janela.

Entre dezembro 1870 e fevereiro 1871, Arthur Rimbaud morou no entrepiso do hotel Belloy Saint-Germain Paris.

Instalado perto da Sorbonne num bairro intelectual e profundamente marcado pela literatura, o hotel Belloy Saint-Germain Paris é a encarnação do Paris dos filósofos e das lumières.

Hoje, o bairro não perdeu nada da sua efervescência : turistas, escritores, vendedores de livros, sorbonnards desfilam nas ruas animadas e comerciantes.

A história se intromete em cada lugar do bairro : a catedral Notre-Dame construída entre os séculos 12 e 14, a ilha da Cité « a cabeça, o coração e a coluna de Paris", a Sorbonne, fundada no século 13 e símbolo da agitação estudantil parisiense, as famosas livrarias Gibert fundadas em 1886 ou ainda a livraria especializada na literatura anglófona Shakespeare&Co visitada por Ernest Hemingway, Ezra Pound, F. Scott Fitzgerald, Gertrude Stein ou ainda James Joyce.

Pelas tardes azuis do Verão, irei pelas sendas,
Guarnecidas pelo trigal, pisando a erva miúda:
Sonhador, sentirei a frescura em meus pés.
Deixarei o vento banhar minha cabeça nua.


Não falarei mais, não pensarei mais:
Mas um amor infinito me invadirá a alma.
E irei longe, bem longe, como um boêmio,
Pela natureza, - feliz como com uma mulher.

 

Arthur Rimbaud

– Maço 1870 –
Extrato de Poesias completas, com prefacio de Paul Verlaine, 1895